30 março 2006

E com a ajuda da política, escrevo.

Tô com uma tremeeeeeeeeeeeeeeeeeeeenda vontade de escrever, mas estou tão cansada que nem tenho assunto. Ah, por que me cansei??? Resolvi encarar um trabalhinho sobre “a expansão territorial e a evolução política brasileira”. Não era obrigada a fazer o trabalho, mas resolvi pesquisar. Lá pelas tantas, já estava de saco cheio, por pouco não escrevo: “olha, evolução política não houve nenhuma. Pra dizer a verdade o retrocesso está tamanho que aguardo ansiosamente a ascensão de Pôncio Pilatos ao poder, porque lavar as mãos é com ele mesmo (e só assim alguma coisa será lavada neste paisinho de m***)”. Mas não, não escrevi.

Falando nisso: Diogo Mainardi deve estar fulo com a concorrência. Explico: nunca, nos meus parcos 30 anos, vi um jornalista fazer a asneira de despencar o Ministro que assessora. Como nesta republiqueta tudo é possível, Marcelo Netto, ex-assessor de imprensa do Palocci, foi quem, segundo as más línguas, fez vazar o sigilo bancário do caseiro olhudo.

O curioso é que a queda era evitável se fosse observada pelo menos uma destas atitudes.
1) Quem tem ou teve empregada sabe bem como é. Quem algum dia já se dignou a conversar com uma delas sabe como é. Mas o “ó do borogodó” mesmo é ouvir duas ou várias delas conversando: quando o assunto não é o KLB, com certeza é o que acontece na casa do patrão. Neste quesito, rola desde a calcinha furada da patroa até a aquisição do último carro, com direito a detalhes da negociação: se foi à vista, se teve de vender a mãe na feira, se vai ser parcelado em milhões de vezes, etc. Imagino até o diálogo:

- Pois é, Luzejane, você não há de ver que o seu Wirsu trocô di carro di novu??? Mas dessa veiz ele dividiu em 18 prestação no crediário.
- Mas Lucicreide, como ele comprou outro carro si as carcinha da muié dele anda tudu furada? Você mesma falou que as suas tava mais nova que as da D. Marta e que lá o armoço é arroz com ovo e a janta é farinha com água!!!

- Ah, mas seu Wirsu qué botá banca pros vizinhu, né?

.... e por aí vai (querido leitor, os nomes e as personagens do diálogo acima são fictícios. Juro!!!)

Voltando à pauta: será que passou pela cabeça do Palocci que ele não seria reconhecido pelo caseiro? Ou que o Francenildo representaria com perfeição aqueles três macaquinhos (não ouço, não vejo e não falo)? Bastava o ex-ministro ter lembrado que o Collor caiu graças a um motorista.


2) Não é pecado nem crime o Ministro da Fazenda quebrar o sigilo bancário de qualquer cidadão, desde que o faça motivadamente e NÃO DIVULGUE. Tá certo que ele quer afastar o cálice do “fui eu que mandei”, mas há certos atos que não precisam de comprovação. É igual a tiroteio na favela, ninguém sabe, ninguém viu; mas todo mundo sabe e todo mundo viu, só que ninguém quer contar para não sofrer as conseqüências.

Dessa balbúrdia toda, muitos foram os que viram o seguinte recado “não falem mal do governo, principalmente a alguma CPI. A não ser, é claro, que você não tenha problemas com a Receita” (um adendozinho: o sigilo fiscal também foi quebrado). É, e pensar que já houve presidente que defendia a tese do “falem mal, mas falem de mim”.

Olha, pior que isso, só discurso de sindicalista.

Ah, chega de política!!!

E chega de post também (yeah, estou mal humorada e extremamente ácida).

Até a próxima.

19 março 2006

Botando o papo em dia e coisas que só a UDF não faz por você

Ontem encontrei uma caixa com fotografias antiqüíssimas e, claro, dei aquela xeretada. Vi fotos de meus pais quando ainda nem rugas (ou filhos) tinham, meus avós noviiiiiiiiiiinhos, minha mãe com meus avós e minha tia num restaurante (mamy exibindo lindamente um penteado a la década de 60)... enfim, revivi histórias minhas e alheias. Bem, minhas fotos da pré-adolescência e adolescência são de lascar (putz, como eu era feia!!!! Sim, dei uma melhoradinha). Independente disso, fiquei imaginando: “se a Andrea de 30 pudesse conversar com a Andrea de 15, o que ela diria???” . Taí um dos motes deste post (que promete ser gigantesco e não girar em torno de um assunto só).

Assim, fazendo de conta que uma Andrea conseguiu conversar com a outra, imaginei logo um monólogo da mocinha de 30. Os comentários e afirmações serão respondidas com expressões faciais da menina de 15.

“- Nem pense muito nos seus 20 anos, eles serão muito próximos do que você é agora. Aliás, presumo que você, aos 50, será a mesma de hoje. A diferença é que aprenderá a fazer uma limonada do limão que a vida te der (filhinha, é piegas, mas é fato!).

- Aquilo que lhe fortalece sempre não será perdido, apesar de você achar que lhe enfraquece. Você vai descobrir que não é assim. Será uma pessoa muito melhor e menos confusa do que é agora. Vai cantar muiiiiiiiiiiiiiito “levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima” ou “começar de novo, e contar comigo, vai valer a pena ter amanhecido” e outras que você canta quando leva uma tremenda rasteira. Ah, vai descobrir outras músicas nesse sentido também.

- Não, você não conseguirá ser fria, má e calculista, mas isso não lhe impedirá de conhecer dezenas de pessoas assim. Uma delas você chamará de sogra (aliás, o carma “sogra” vai te acompanhar pra vida inteira, elas realmente são tristes). Sua primeira sogra também terá uma família muito semelhante a ela, mas como você é vítima em potencial da Lei de Murphy, adivinhe qual será a pior deles??? E, segundo o Direito, sogra de casamento de papel passado é pra vida inteira, nem o divórcio acaba com esse parentesco (ou tortura, no seu caso).
(Um adendozinho, se essa tal família for fazer um churrasquinho no Instituto Butantã, as cobras pedirão asilo político no Iraque. Sim, há as exceções que confirmam a regra – da família, não das cobras.)

- Não, você não será essa coisinha horrorosa a vida inteira. Vai dar uma melhorada significativa depois dos 18 anos. Ah, você e seu cabelo (tão carinhosamente apelidado de “juba”) entrarão num período de relativa paz depois dos 29 anos. É quando você vai descobrir a escova fotônica e a reconstrutora, que alisarão as madeixas.

- Levando-se em conta a sua melhora na aparência - melhora natural, diga-se de passagem (daqui uns anos, cirurgia plástica vai ser igual a cosmético de supermercado. Todo mundo vai ter uma) – algumas pessoas achar-lhe-ão bonita!!! (Essa cara é por conta da mesóclise ou da descrença???? Ah, sim, você vai ser formar em Letras, mas não se preocupe, fará outra faculdade. E sim, querida, essa também será a cara que você fará quando lhe disserem “você é bonita”. É algo em que você nunca vai acreditar.)

- Sobre as tais faculdades e estudos em geral. Você não vai ser essa bagunceira a vida inteira. Seus dias de fundão terminarão ao final do 2º grau. Na faculdade você será uma “nerd”. Em Letras, aceitará médias 8,0; em Direito, algo abaixo de 9,0 ensejará distúrbios mentais (sim, você continuará se chamando de “anta”, “asno” e outras coisinhas lindas quando errar algo que você julgava impossível ou inaceitável errar.)

- Você terá um filho lindo. E lindo do jeito que você quer: lindo na aparência e mais lindo ainda no coração. Sim, você terá muita “culpa” por ele ser assim, pois passará seus valores (Isso!!! Aqueles que você quer mandar para as cucuias e que lhe impedem de ser uma Lex Luthor – versão saias e mais inteligente. Mas não fique aborrecida, garota, Deus é tão bom que vai lhe presentear com a Fraulein. Tá certo que a pobrezinha da Fraulein vai perder de goleada pra Madre Teresa que vive em você, mas você conseguirá ouvir algo como “eu não falei?”, com um leve sotaque alemão, toda vez que você não der ouvidos à sua governanta.

- Você não levará mais desaforos para casa a partir dos 17 anos. Com a maturação que a idade vai lhe dar, começará fazendo inveja a Mike Tyson, mas depois optará pelo cinismo, e mais tarde pelo mantra “e por acaso vale a pena perder tempo com isso?”. Bem, na idade em que eu estou, você já está chegando a sentir pena da outra pessoa (no melhor estilo “perdoe, ele(a) não sabe o que faz”). Não se acanhe, vez por outra seu lado Cassius Clay vez por outra dará as caras. Ah, muitos serão os que vão dizer “quero morrer seu amigo”.

- Amigos você terá poucos, mas suas amizades serão bastante sólidas. Você será relativamente anti-social. Sinceramente não sei se você terá inimigos. Você realmente não perde seu tempo com eles e isso, aliado à sua falta de memória, fará com que você nem se lembre da existência deles. Sim, querida, você continuará atraindo invejosos de plantão e continuará sem saber por que diabos esse povo perde o tempo deles tendo inveja de você, logo de você.

- Yeap, sua memória continuará lhe pregando peças. Isso será ótimo! As pessoas poderão contar-lhe a mesma história duas, três, quatro, infinitas vezes, que a sua reação de ineditismo será a mesma (o curioso é que até suas opiniões e expressões serão as mesmas também).

- Você continuará romântica, mas uma romântica mais pragmática. As pessoas continuarão valendo mais pelo que são (e não pelo que elas têm). Convém advertir que você se sentirá meio ilhada, pois a cada dia mais vale (para os outros, fofinha) o que se tem que aquilo que se é (isso vai te deixar enojada!).

- As pessoas confiarão em você, até mesmo pessoas que você nunca viu na vida. E toda vez você vai pensar “Nossa!!! O que foi que eu fiz pra merecer tamanha confiança? Ah, já que ganhei, não quero perder por nada nesse mundo”. Aí o segredo da pessoa estará mais bem guardado ainda. Você, até os 30 anos, ganhará dois amigões por conta dessa confiança.

- Você continuará confiando em Deus. Mas não, não será evangélica (eles se disseminarão iguais a coelhos. Em cada esquina haverá uma igreja evangélica que em nada lembrarão as que você já ouviu falar.). Ah, você será espírita (mas disso você já sabe. É bom dizer sempre “espírita kardecista”, pois o politicamente correto – outra praga do futuro – também chamará de “espírita” os atuais “macumbeiros”).

- Você continuará se revoltando contra injustiças (desde as mais simples – se é que existe injustiça simples – até as mais complexas). Sim, você também lutará contra moinhos de vento (aproveita a deixa e dá uma ajudinha pra ver se você acaba com isso, ta? Tem horas que enche a paciência!!!).

- Você continuará sendo reconhecida como a garota Danoninho (“como ela é inteligente”). (Ao leitor, aos quinze, os únicos elogios que me davam eram restritos à inteligência ou à simpatia). Er... você não será tão simpática com todos (mas continuará sendo um doce com quem você achar que merece. Os outros, bem... sabe amnésia??? Pois é, você vai esquecer a existência deles!).


Ah, acho que ainda falaria muiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiita coisa, o problema é que se isso realmente acontecesse, a Andrea de 15 anos precisaria de terapia.

Então, mudando de assunto:

Não sou mais a mesma. Não tenho mais juízo algum, Todos eles foram extraídos numa tarde (e eu agora estou há 5 dias sem saber o que é uma alimentação decente :oS). Sim, tirei os sisos.

Não, não é nenhum passeio no parque. Na hora não dói taaaaaaaaaaaanto por conta da anestesia, mas depois parece que você levou uma surra!!! Sem contar o inchaço que faz você se parecer irmão do Fofão (aquele bicho esquisito que fazia companhia para a Simony, na década de 80; bem, isso antes de ela preferir outras companhias, se é que vocês me entendem).

Falando sério, EU QUERO COMER!!!! Essa história de papinha, pudim e outras coisas molinhas estão me tirando do sério. E o pior não é isso, é que essas porcarias engordam!!! (Socooooooooooooooooooorro!!!!).

Paremos de falar sobre comida. Mudando novamente de assunto.

Minha cruzada anti-ensino à distância continua. Seguinte: a faculdade onde estudo resolveu adotar essa modalidade de ensino para algumas disciplinas. Só que a facul esqueceu de um detalhezinho importantíssimo: qualidade. Ou seja, fiz “Ética Geral e Cidadania” e posso dizer que não aprendi absolutamente nada, apesar de ter alcançado a média 9,2. Agora estou tentando aprender de forma autodidata “Direito Romano”.

Explico: aprender de forma autodidata quer dizer que tenho de ler outros livros, buscar de outras fontes, porque o texto utilizado está cheeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeio de erros de conceito, além de ser um plágio de um livrinho vagabuuuuuuuuuuundo (adivinhem qual??? Se você respondeu “História do Direito – Geral e Brasil”, da Flávia Lages de Castro – aquele que eu critiquei há alguns posts - VOCÊ ACERTOU!!!). Entrei com um requerimento na faculdade e estou esperando (sentada) pela resposta. O pequenino detalhe é que, se eles resolverem curtir com a minha cara, eu vou apresentar o requerimento que protocolei lá no Ministério Público e no Ministério da Educação. Tenho cópia autenticada (por eles) de todos os documentos que apresentei (yeah, dogão é mau!!!). Ah, tá aqui o link da crítica: http://pensamentossimples.blogspot.com/2006/02/como-transformar-uma-excelente-idia.html

Outro pequenino detalhe: a UDF resolveu colocar como Coordenadora do Centro Tecnológico de Estudo uma pessoa que, assumidamente, não sabe lhufas de informática. Quando ela me disse isso, minha perguntinha retórica foi: “ué, mas aqui não é o CENTRO DE TECNOLOGIA da faculdade?????” . Bem, da informação da “senhoura”, fui me levantando, enquanto ela tentava balbuciar alguma justificativa. Preciso dizer que saí sem ouvir a resposta??? Quer dizer, qualquer problema no Portal, tem de se contatar a empresa contratada lá em Curitiba (é, não bastasse a incompetência em se fazer o próprio texto ou, pelo menos, plagiar de um livro decente, há ainda o cúmulo da falta de senso pragmático em se contratar uma empresa local ou não tão distante).

Olha, se as aulas presenciais não fossem tão boas, eu sairia da faculdade.

Ah, outra coisa que me espanta naquela faculdade é a INUTILIDADE do DCE. Eles até tentaram fazer uma manifestaçãozinha por conta de mensalidade, ensino semi-presencial, etc. Mas, como bons sindicalistas que prometem ser, resolveram invadir as salas de aula. Em resumo, tinham tudo pra forçar um acordo ou algo que o valha, mas jogaram tudo por terra porque não têm uma cabeça pensante no meio deles. Taí o motivo pelo qual não passei meu requerimento ao DCE.

Nossa!!!! Tá muito longo este post, mas ainda cabe um espacinho para uma última noticinha: mudei meu estado civil.

Até a próxima!!!

Ps.: Você está esperando saber quais foram as novidades ruins das minhas férias??? Elas estão diluídas no post. Leia com “olhos de ver”. Bjus!!!