28 maio 2009

A uma motorista excepcional...

Este post vai para a proprietaria e condutora do Fiat Punto, ELX 1.4, cinza, placa de Brasília, JGN7xx2, que, com a afoitez de toda mulher mal amada, tentou arduamente "empurrar" meu carro na L2 Sul.

Além de lhe dedicar essa homenagem, desejo, do fundo do meu coração que você seja pega por um radar móvel, cuja consequencia seja somente duas semanas no maravilhoso cursinho "como dirigir com prudencia", ministrado pelo DETRAN.

Falando em DETRAN, gostaria de agradecer os bons préstimos dessa fantástica autarquia, que permite toda sorte de abusos no trânsito sem que nós possamos fazer qualquer tipo de reclamação, mesmo tendo todos os dados do veículo.

Como sei disso??? Ora, liguei para o 154 perguntando como poderia proceder para denunciar o ilícito cometido pela "mal amada (e muito provavelmente corna) motorista", e ouvi da atendente que esse tipo de denuncia não é permitido!!!

Não satisfeita, perguntei se eu era obrigada a aturar atitudes não condizentes com a postura de motorista (aliás, de qualquer animal minimamente pensante e ético), ela disse (pasmem!!!) que eu deveria entrar em contato com a policia ou com o DETRAN quando do cometimento do crime!!! Ou seja, eu teria de fazer uso do celular enquanto estivesse dirigindo!!!

É por isso que eu me espanto com a esperteza e a austeridade de alguns serviços públicos!!!

Valeu mesmo, DETRAN!!!

Valeu porque a partir de agora vou dedicar mais posts aos motoristas fantásticos de Brasília, afinal muitos são realmente excepcionais!!!!

E tudo isso, contando sempre com o primoroso patrocinado do DETRAN!!! A inercia é a principal de colaborar para a impunidade...

Ps.: lembrete aos desavisados, não se acentuam mais as paroxítonas terminadas em ditongo crescente

27 maio 2009

Musiquinhas significativas...

... pra variar.

Estou sem tempo, estou estressada, mas ainda há coisinhas pequenininhas que me trazem algum alento. Uma dessas coisinhas tocou hoje na rádio. Não pensei duas vezes, aumentei o volume e cantei!!! Acabei por espantar parte dos meus males e aliviar um tiquinhozinho o estresse.

But I still haven't found what I'm looking for

I have climbed the highest mountains
I have run through the fields
Only to be with you
Only to be with you

I have run
I have crawled
I have scaled
these city walls
these citu walls
Only to be with you

But I still haven't found
What I'm looking for
But I still haven't found
What I'm looking for

I have kissed honey lips
Felt the healing in her fingertips
It burned like fire
This burning desire

I have spoke with the tongue of angels
I have held the hand of the devil
It was warm in the night
I was cold as a stone

But I still haven't found
What I'm looking for
But I still haven't found
What I'm looking for


I believe in the Kingdom Come
Then all the colours will
bleed into one
bleed into one
But yes I'm still running

You broke the bonds and you loosed the chains
You carried the cross
And my shame
And my shame
You know I believe it

But I still haven't found
What I'm looking for
But I still haven't found
What I'm looking for

13 maio 2009

Nem tudo está perdido...

1 - O link abaixo pode ser classificado como sendo do gênero "autoajuda":

Homem senta na privada e leva mordida de cobra no pênis

... e você aí, achando que o seu dia estava ruim... tsc, tsc, tsc.


2 - Advogado sequestrado deixa cativeiro, mas morre de infarto

calma, não tirem conclusões precipitadas, não se trata de humor negro nem de ironia, é só mais um exemplo de "desculpas esfarrapadas que desafiam a lógica", pois a PM disse que investigará se o fato de, entre a ligação e o efetivo atendimento, ter se passado mais de 40 minutos configurará atraso... piada infame, né???

Por enquanto é só...

Ps.: se o título de um presente é anjo ou demônio, você deve tomar isso como um elogio??? Ainda não decidi ou descobri, mas o conteúdo do presente é bom demais!!!

04 maio 2009

Consciência e cidadania não fazem mal a ninguém...

Titulozinho interessante, né??? Parece que vou falar de política, mas não, vou falar de suicídio.

O que tem a ver suicídio com consciência e cidadania??? Veremos...

Aqui em Brasília, há um shopping chamado Pátio Brasil, em cujas dependências há a prática constante e reiterada de suicídios. Os jovens se dirigem ao último andar do prédio, onde fica instalada a praça de alimentação, e se jogam!!!

Sem pendores psicológicos, por que se jogam? Ora, pois é fácil!!! O parapeito é, em verdade, um paracintura, a visibilidade é enorme (afinal, a cidade inteira fica sabendo do último suicídio ocorrido por lá), e a administração do shopping é de uma inércia de fazer inveja a Newton!!!

Não bastasse o chamariz e a facilidade, os jovens se jogam para a praça central do shopping!!! O que isso quer dizer??? Quer dizer que os suicidas podem levar consigo para o alem-túmulo uma pessoa que não desejava morrer, pode ser um pai de família, uma mãe, uma mulher grávida, uma criança, um velhinho... enfim, pode ser qualquer um!!!

O curioso é que os "administradores" se eximem de qualquer responsabilidade, dizendo não serem responsáveis pelas atitudes impensadas de alguns. Ora, se até a Torre de TV, ponto turístico de Brasília, e até mesmo a Torre Eiffel, marco parisiense, dignaram-se a instalar grades de proteção, por que um shopping não pode modificar seu layout??? Os arquitetos não são criativos o suficiente para aproveitar o ensejo e revitalizar o lugar??? Ou será que fica muito caro cuidar da segurança daqueles que não têm interesse em participar de um espetáculo dantesco ou de ser o próximo na fila de São Pedro???

Ah, por favor, não me venham com os argumentos pífios de que o shopping não tem nada a ver com a insanidade mental de alguns. Tá certo que um se mata (não, ninguém ainda teve a idéia de realizar um suicídio coletivo no lugar), mas vários são atingidos pelas cenas horrendas e podem mesmo ser literalmente atingidos pelos que se atiram!!!

Outro argumento falho é o "basta não ir ao shopping". Esse tipo de pensamento é típico daqueles que não fazem e reclamam dos que fazem, aqueles seres sem atitude que elegem governantes "roubam, mas fazem". E, numa boa, esse tipo de gente me levam à misantropia.

Assim, cansada de ver ninguém fazer nada, a não ser ficar no muxoxo, resolvi visitar o site do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios e deixar minha solicitação, para que o MPDFT faça o seu dever de casa e proteja os interesses coletivos e difusos.

Se você quiser entrar nessa, basta copiar o texto abaixo e colar neste link. Não esqueça de preencher os dados solicitados.

Baseando-me na notícia veiculada pelo Correio Braziliense (http://www.correiobraziliense.com.br/html/sessao_13/2009/05/02/noticia_interna,id_sessao=13&id_noticia=104445/noticia_interna.shtml) e tendo em vista os constantes suicídios ocorridos no shopping reclamado, venho solicitar que sejam adotadas as medidas judiciais e extrajudiciais cabíveis, a fim de coibir a prática do autoextermínio no local em comento, prevenindo e protegendo os frequentadores de cenas dantescas e do perigo decorrente da mencionada prática, posto que os suicidas se atiram para a praça central do lugar.

Sugere-se a instalação de blindex nos parapeitos internos, ou o aumento significativo de sua altura, e grades de proteção nas áreas externas do estabelecimento em tela.

Tal solicitação encontra respaldo nos arts. 6º, VI, 81 a 84 e do Código de Defesa do Consumidor.

Atenciosamente,

Afinal, consciência e cidadania não fazem mal a ninguém