05 junho 2012

Músicas em atraso

Tem sempre aquela música que todo mundo curte, todo mundo canta, todo mundo sabe, menos você. O tempo passa, todos se esquecem da música, não pensam mais tanto nela assim e é aí que eu entro: quando todos já não se lembram, a música dá um jeito de chegar em mim e bater em cheio!!! E foi exatamente isso o que aconteceu com "Vento no Litoral".

No auge da canção, achava a música um saquinho: aquela melodia tristinha, aquela voz de quem sofreu horrores e por isso fez a música. Simplesmente não a ouvia. Quando tocava nas rádios, logo mudava de estação.

Mas eis que (é, definitivamente o detalhe da vida está no "mas"), um belo dia, estava dirigindo, pensando em tudo o que tinha de fazer durante o dia e a música toca na rádio.

Absorta em meus pensamentos, um trechinho me tira do meu mundinho: "Dos nossos planos é que tenho mais saudade".

Voltei logo para e realidade e dei à canção a atenção que nunca havia dado.

Todos já tivemos sonhos desfeitos, todos já tivemos planos não concretizados... o problema é quando esses planos te martirizam de certa forma. Não, não é deixar de seguir, é pensar no "e se...". E se tivesse rolado a chance, e se tivesse aceitado a proposta, e se, e se, e se... é aí que entra o trecho "dos nossos planos é que tenho mais saudade".

É estranhíssimo sentir falta de alguma coisa que não foi além, que não se realizou, que acabou morrendo (ou sendo morta). Só que falar isso para uma pessoa que sente saudade de épocas que sequer viveu (como eu sinto saudades dos anos de 1950, 1960), é dizer absolutamente nada...

Então fui me dando ao luxo de analisar outros trechos...

"Sei que faço isso pra esquecer". Puxa, perdi a conta de quantas vezes me envolvia em vários projetos, para esquecer frustrações que me custaram muito. Tudo ao mesmo tempo agora (e tudo muito bem feito) era minha meta... minhas melhores notas na vida são da época em que me separei...

Na minha opinião, a estrofe mais forte, mais incisiva, mais doída é:

Agimos certo sem querer
Foi só o tempo que errou
Vai ser difícil sem você
Porque você está comigo
O tempo todo
E quando vejo o mar
Existe algo que diz
Que a vida continua
E se entregar é uma bobagem...


Agimos certo sem querer, foi só o tempo que errou... é justamente isso!!! Eureka, Renato Russo, em duas frases, descobriu o que eu levei anos para descobrir!!! E descobriu antes mesmo que eu vivesse uma situação assim... agora entendo muito bem o que ele quis dizer e o que ele sofreu com tudo isso: tudo para dar certo, mas tudo dando errado.

Vai ser difícil sem você, porque você está comigo o tempo todo...

"Existe algo que diz que a vida continua e se entregar é uma bobagem". Essa frase é uma releitura do lema que resolvi adotar para mim mesma há muito, muito tempo. Com base nessa orientação, sigo em frente, não por força ou por determinação, mas só porque não tenho outra alternativa: o passado não volta, o futuro não me pertence, só me resta o presente. Fazer algo agora, neste instante, neste momento... depois pode ser muito tarde. Afinal, agimos certo sem querer, foi só o tempo que errou. Adiou-se muito o que nunca poderia ser adiado... aí entra o trechinho de outra música:

You could've tried to see the distance between us
But it seemed to far for you to go
Do you remember?
 
Mas aí já é outra história...
 
Enquanto isso, curtam "Vento no Litoral"